Tradução de Zecharia Sitchin das 14 Tábuas de Enki: História Completa dos Anunnaki

Tradução de Zecharia Sitchin das 14 Tábuas de Enki: História Completa dos Anunnaki

15/05/2024 0 Por jk.alien

Tradução de Zecharia Sitchin das 14 Tábuas de Enki: História Completa dos Anunnaki Zecharia Sitchin chocou o mundo histórico e arqueológico depois de publicar sua série de livros sobre “deuses Anunnaki” que chegaram do planeta Nibiru há cerca de 445.000 anos. Segundo ele, esses antigos astronautas pousaram em um dos mares da Terra e estabeleceram Eridu, “Casa no Distante”.



A tradução do autor de quatorze tabuinhas de Enki explica a história da civilização Anunnaki e seu propósito completo para a visita à Terra. As tabuinhas são o relato de Enki, um Annunaki, de um planeta chamado Nibiru. Ele era o filho primogênito de Anu, o rei do planeta Nibiru. Supõe-se que Nibiru orbita o Sol a cada 3.600 anos terrestres.

Enki afirmou [conforme a tradução de Sitchin] nessas tabuinhas ter vindo à Terra para extrair ouro para seu planeta natal, Nibiru. O ouro era necessário para reparar a atmosfera do seu planeta. Eles precisavam de mineiros, então Enki criou os humanos na Terra à sua imagem.

Embora haja muitos céticos na história dos Anunnaki, numerosos estudiosos e teólogos começaram a reconhecer que os contos bíblicos da Criação, de Adão e Eva, do Jardim do Éden, do Dilúvio, da Torre de Babel, são na verdade produtos de textos antigos escritos milênios antes na antiga Mesopotâmia pelos antigos sumérios. A Primeira Epístola do Senhor Enki Capítulo 1.1 – Esta Epístola explica o que parece ser, para nós, uma guerra atômica na Terra entre os Annunaki. O vento maligno de que falamos parece ser uma nuvem radioativa que mata todos em seu caminho, deuses e humanidade. Uma parte muito interessante é que diz que é a pior coisa que já aconteceu desde o dilúvio (dilúvio).




Capítulo 1.2 – Esta tabuinha fala sobre há muito tempo no planeta natal dos Anunnaki, Nibiru. Eles parecem pensar que ganharam vida a partir daquilo que os nossos evolucionistas acreditam ser uma sopa primordial. Embora saibamos que isso não pode acontecer, eles acham que pode. Menciona a espessa atmosfera e vegetação do planeta. Seus ciclos ao redor do sol com os períodos quentes e frios. Durante os períodos frios, o calor interno do planeta mantém Nibiru aquecido. Começaram disputas que terminaram no uso do que consideramos bombas atômicas. Isso devastou o planeta deles. Então a paz foi feita e uma realeza foi estabelecida para todo o planeta.

Capítulo 1.3 – Esta tabuinha fala da linhagem da realeza em Nibiru. Conta sobre os casamentos dos reis. O até se casou com a filha do irmão.

Capítulo 1.4 – Este vídeo do tablet mostra que o planeta natal de Annunaki está tendo problemas com uma brecha em sua atmosfera. A resposta é colocar ouro em pó fino na alta atmosfera para fazer um reparo. Esta decisão só ocorreu quando uma luta entre eles terminou na morte do rei. (Irmão mata irmão como Caim e capaz). Capítulo 1.5 – Esta tabuinha contém o conselho Anunnaki decidindo que o Annunaki que matou o rei, do qual ele é um parente distante, deveria receber o trono. Não há sequer qualquer punição considerada para matar o rei.



Capítulo 1.6 – Esta tabuinha detalha como o rei tenta curar a atmosfera do planeta detonando bombas atômicas em vulcões. Não adianta e os Anunnaki estão descontentes. A próxima pessoa na fila para o trono desafia o rei e o derrota em uma luta livre. O rei escapa dos Annunaki saltando em uma espaçonave e indo em direção à Terra.

A Segunda Tábua do Senhor Enki
Capítulo 2.1 – Esta tábua fala sobre a fuga dos reis derrotados de Nibiru com o plano de ir para a Terra coberta de neve. A nave espacial que ele pegou tinha bombas atômicas e seu plano era abrir caminho através do cinturão de asteróides, que impedia os Anunnaki de irem para a Terra.

Capítulo 2.2 – Descreve a chegada do rei derrotado à Terra. Capítulo 2.3 – Esta tabuinha fala dos primeiros dias do rei derrotado na Terra e de como o ar, as frutas e os peixes eram bons. Também foram encontrados vestígios do ouro que o planeta Nibiru necessita para reparar a atmosfera. Ele liga para o novo rei de Nibiru e quer fazer um acordo.



A Terceira Tábua do Senhor Enki
Capítulo 3.1 – Esta tábua fala das tentativas dos reis derrotados de subornar o novo rei com seu conhecimento do ouro na Terra e ter sua realeza reintegrada.

Capítulo 3.2 – Esta parte tem o encerramento das negociações. Uma equipe será enviada à Terra para ver se há ouro. Se houver ouro, o rei derrotado terá outra luta com o novo rei pelo trono. Capítulo 3.3 -O vídeo do tablet a seguir mostra os Annunaki viajando para a Terra. Eles param brevemente em Marte para buscar água. A espaçonave deles aparentemente funciona com água. Então eles seguem para a Terra e pousam lá.



Capítulo 3.4 – Esta parte fala dos primeiros 6 dias na Terra da equipe avançada dos Anunnaki. Muita comida, água, peixes e animais.

Capítulo 3.5 – Esta parte descreve o líder da equipe Annunaki declarando o sétimo dia como um dia de descanso. Os metais foram processados ​​a partir das águas. O dia, mês, ano receberam seus nomes.

Capítulo 3.6 – Esta parte da tabuinha fala sobre como procurar e encontrar ouro, mas não em grandes quantidades. As bombas atômicas restantes na espaçonave do rei derrotado foram retiradas da espaçonave e escondidas em uma caverna. Eles não devem ser usados ​​novamente para abrir caminho através do cinturão de asteróides. Um membro da equipe Anunnaki deixa a Terra para levar as primeiras cestas de ouro para Nibiru.
A Quarta Tábua de Lord Enki
Capítulo 4.1 – Esta tábua começa com a nave espacial com as primeiras cestas de ouro chegando. A notícia foi recebida da Terra de que os maiores depósitos de ouro estão no subsolo. Um Annunaki de alto escalão foi colocado no comando das operações terrestres. Ele partiu de Nibiru e chegou à Terra.

Capítulo 4.2 – Esta parte da tabuinha mostra o novo rei de Nibiru vindo à Terra para ver por si mesmo onde o ouro está no subsolo. Um plano está sendo desenvolvido para ver qual de seus filhos retornará a Nibiru e qual deles permanecerá e comandará as operações na Terra. Isso é necessário por causa das rivalidades entre seus dois filhos, devido ao fato de ambos serem elegíveis para o próximo reinado. Capítulo 4.3 – Esta parte mostra o novo rei e seus dois filhos sorteando para ver quais trabalhos eles realizarão. Quando as decisões são anunciadas, o rei derrotado reafirma sua posição para a segunda luta pelo trono. A luta termina com o novo rei derrotando novamente o rei já derrotado. Após o final da partida, o rei derrotado morde o membro masculino do novo rei e o engole. Ele está amarrado e amarrado. Enquanto o novo rei está se curando, a barriga do rei derrotado incha com o sêmen do membro masculino do rei. Um tribunal se reúne e decide o que fazer com o rei derrotado. O filho do novo rei quer matá-lo.



Capítulo 4.4 – Esta parte da tabuinha mostra o novo rei decidindo colocar o rei derrotado, que deverá morrer por engolir o membro masculino do novo rei, em Marte no exílio enquanto ele morre. O novo rei retorna a Nibiru e conta tudo o que aconteceu e os planos para colher o ouro na Terra. Os planos incluem a construção de estações retransmissoras em Marte e possivelmente na Lua. A Terra é novamente referenciada como Éden.

Capítulo 4.5 – Esta parte descreve a construção de equipamentos específicos de movimentação de terra, naves espaciais e foguetes em Nibiru para uso na Terra. Os ciclos e a atmosfera mais curtos da Terra afetam os Anunnaki. Um grupo de mais Annunaki, incluindo algumas mulheres com habilidades de cura, deixam Nibiru e vão para a Terra. Eles param em Marte para ver se o rei derrotado morreu e para iniciar uma estação retransmissora lá. O resto do grupo continua para a Terra. A Quinta Tábua do Senhor Enki Capítulo 5.1 – Esta tábua começa com o último grupo chegando à Terra. O filho que foi colocado no comando do apoio à colheita do ouro cumprimenta a irmã que é uma das curandeiras. Eles voam para os alojamentos do filho do rei, que ele construiu em uma montanha. Eles expressam amor um pelo outro e discutem sobre seu filho em Nibiru querer vir para a Terra (estes são irmão e irmã). Eles voam de volta para o Éden e ele a leva contando seus planos. Cada vez mais Anunnaki chegam de Nibiru.




Capítulo 5.2 – Existem agora 300 Annunaki em Marte e 600 na Terra. Esta parte da tabuinha é mais sobre as mesmas decisões ignorantes e imoralidade de alguns Anunnaki. A filha do rei que está fazendo amor com o filho do rei é prometida pelo rei ao outro filho do rei. Quando se descobre que o outro filho e a filha dormem juntos, a filha fica proibida de se casar com qualquer pessoa. O filho do rei que estava fazendo amor com sua irmã estupra uma jovem curandeira, que está sob o comando da irmã com quem ele dorme. O filho ofensor do rei é exilado para um lugar árido na Terra, mas o Annunaki que o leva ao exílio, o leva propositalmente para um lugar onde as sete bombas atômicas retiradas da nave do rei derrotado estão armazenadas em uma caverna.

Capítulo 5.3 – A jovem curandeira estuprada é levada perante os sete juízes e ela lhes diz que está grávida. Eles perguntam se ela aceitará como marido o filho do rei que a estuprou. Ela diz que vai. O filho exilado do rei é devolvido ao Éden. O outro filho do rei que está encarregado de extrair o ouro do subsolo está morando naquela área da Terra. Seu pai, o rei, havia prometido a ele sua filha em casamento, mas em vez disso a baniu do casamento quando o rei descobriu que ela e seu outro filho dormiam juntos. Agora o filho do rei encarregado de conseguir o ouro pede que ela se junte a ele em sua residência. Ele e sua meia-irmã têm uma filha recém-nascida. Ele queria um filho. Ela tem outra filha. Ele grita que quer um filho, mas ela o amaldiçoa (maldição de verdade). Ele agora tem problemas de saúde terríveis. Somente ao jurar ficar longe de sua vagina ela o alivia de sua maldição. Ela retorna ao Éden. Ele convoca sua esposa e filho em Nibiru para virem à Terra. Ele tem cinco filhos com sua esposa e outras mulheres Anunnaki. O outro filho do rei, após se separar de sua irmã, estuprou uma jovem curandeira e mais tarde se casou com ela. Agora ele e a irmã que ama chamam o filho de Nibiru para a Terra. Mas ele é casado e tem um filho com a esposa. Isso criou rivalidades entre os dois filhos do rei na Terra. Isso leva à guerra. O ouro chega a Nibiru e se transforma em um pó fino que é colocado na atmosfera. A atmosfera está se curando lentamente. Existem agora cinco cidades Annunaki na Terra. Os Igigi estão começando a reclamar da carga de trabalho. Os Igigi em Marte são os que mais reclamam. O comandante de Marte é trazido à Terra para mostrar-lhe o funcionamento lá.



Capítulo 5.4 – O comandante de Marte mostra o funcionamento na Terra. Ele secretamente deseja ser o rei, então rouba as tábuas do destino (sem saber seu verdadeiro alcance e poder) do Éden. Ele acredita que não pode ser derrotado enquanto tiver as tábuas do destino, mas é derrotado e condenado à morte. Ele morreu no vigésimo quinto shar (acredita-se que um shar tenha 3.600 anos terrestres, a duração de uma órbita de Nibiru ao redor do Sol). Vinte e cinco shars situariam sua execução aproximadamente 90.000 anos depois que os Anunnaki vieram à Terra. Os líderes Annunaki da Terra elaboram um plano para refinar o ouro na Terra e levar ouro refinado apenas para Nibiru. Isso deixará espaço na nave para Igigi viajar para NIbiru para descansar. O rei concorda.

Capítulo 5.5 – O filho do rei encarregado da mineração agora direciona sua atenção para a vida e os animais na Terra e como ela difere de Nibiru. Mencionados são os animais das árvores altas que usam as patas dianteiras como mãos. Outras criaturas foram vistas na grama alta andando eretas (hominóides). Os Igigi nas minas se rebelam. Os dois filhos do rei e outros elaboram um plano para devolver os rebeldes Anunnaki a Nibiru e substituí-los por novos trabalhadores Annunaki. Eles também decidem criar uma Lulu. Um trabalhador primitivo. A Sexta Epístola do Senhor Enki Capítulo 6.1 – Há muita discussão sobre a criação de uma raça de seres trabalhadores escravos primitivos. Um dos filhos do rei afirma que o “pai de todos os começos” tem o único poder de criação. O outro filho do rei que está promovendo essa empreitada está dizendo que o ser já existe e que eles não seriam escravos, mas sim ajudantes. É claro que isso soa como uma mentira moderna. O filho do outro rei diz que é contra as regras da jornada de planeta em planeta. O filho do outro rei afirma que era contra as regras vir para a Terra. Depois de muito debate o rei decretou a criação do escravo primitivo.




Capítulo 6.2 – Quanto mais pesquiso isso, mais acredito que os Anunnaki, especialmente o filho do rei encarregado da mineração, criaram as criaturas míticas de antigamente. Os animais como dragões, centauros, sereias, unicórnios, etc. Nesta parte da tabuinha afirma que eles pegaram partes da parte traseira de um animal e combinaram-nas com a frente de outro. Em outras palavras, eles estavam fazendo experiências com DNA. O filho deste rei criou criaturas a partir do DNA e violou as regras antes mesmo de os argumentos começarem a criar um trabalhador primitivo. Dado o direito de prosseguir pelo rei, eles tentaram e tentaram misturar o DNA das criaturas de duas pernas (hominóides) da Terra com o deles e colocá-lo no útero da criatura feminina da Terra de duas pernas. Houve muitas concepções, mas os resultados não foram bons. Muitas criaturas foram criadas com deformidades.

Capítulo 6.3 – Todas as tentativas falharam, mas finalmente eles decidiram não engravidar novamente uma fêmea terrestre de duas pernas, mas sim uma fêmea Annunaki. A fêmea Anunnaki que estava fazendo a emenda do DNA decidiu engravidar. Ela concebeu e deu à luz um menino. Ela o chamou de Adão. Então eles decidiram perguntar às jovens curandeiras Annunaki de Nibiru se elas ficariam grávidas. Sete deram um passo à frente.

Capítulo 6.4 – As sete curandeiras Anunnaki foram impregnadas com uma combinação da criatura feminina terrestre de duas pernas (hominóide) e Adão. Os sete deram à luz sete filhos do sexo masculino. Ao perceberem o problema da demanda das mulheres Annunaki, eles decidiram ter filhos do sexo feminino e deixá-los procriar. A esposa de um Anunnaki foi questionada e seu consentimento foi dado para engravidar. O parto não foi normal, mas a menina estava bem. Capítulo 6.5 – Mais sete fêmeas foram criadas para os sete machos. Adão e Eva são transferidos para o Éden (a principal cidade dos Annunaki) e os sete machos e fêmeas são colocados em gaiolas entre as árvores. (tanto por não serem escravos). O tempo para eles procriarem já passou. Sem concepções. Algum DNA é retirado do filho do rei e da mulher que estava temperando o DNA e colocado em Adão e Eva. Adão e Eva são então deixados vagando pelo Éden como quiserem.



Capítulo 6.6 – Nesta parte da tabuinha, o filho do rei sobre o Éden percebe que Adão e Eva têm folhas. Ele fica chateado e convoca o filho do outro rei que fez parte da criação para explicar. Ele, por sua vez, convoca seus cúmplices na criação. Todos explicam a falta de DNA, o que deixa o filho responsável pelo Éden mais chateado. Ele havia alertado sobre a loucura. Um dos membros da criação fala e diz que a vida longa dos Anunnaki não lhes foi dada. O filho encarregado do Éden ordena que retirem suas criações do Éden. Adão e Eva não saíram do Éden porque comeram do fruto da árvore proibida. Eles foram expulsos porque os cientistas Annunaki lhes deram o DNA para procriar e o comandante do Éden ficou louco. Eva não ficou tentada. Nada disso estava sob o controle de Adão e Eva.

A Sétima Tábua do Senhor Enki

Capítulo 7.1 – Adão e Eva são colocados em um recinto fora da cidade do Éden. Eles tiveram muitos filhos. Os Anunnaki agora têm três gerações na Terra. Os Adams estão trabalhando nos campos e nas minas. O ouro está fluindo. A Terra está esquentando. A neve está derretendo. Vulcões entram em erupção e o chão treme. Os Igigi estão reclamando em Marte de ventos fortes e tempestades de poeira. O cinturão de asteróides está em crise. Na Terra os enxofres estão caindo. Parece que Nibiru passou por perto, de alguma forma causando muitos problemas nos céus. Um grande asteróide atingiu a lua.

Capítulo 7.2 – Nesta parte eles contemplam abandonar a estação retransmissora em Marte. Já se passaram 80 shars, ou 288.000 anos terrestres, na Terra. Observe que o povo Annunaki que veio pela primeira vez à Terra há 288.000 anos ainda está vivo. Os Anunnaki vão à Lua e estudam muitas coisas. Os três caminhos do céu. As doze constelações, etc. Capítulo 7.3 – Como a retransmissão de Marte seria abandonada, um novo porto de espaçonaves seria criado na Terra para o transporte direto do ouro para Nibiru. O rei vem à Terra para ver o novo porto espacial criado.



Capítulo 7.4 – A divisão recomeça entre os filhos do rei e seus descendentes. Os trabalhadores primitivos (Adão e Evas) são capturados fora da cidade do Éden e trazidos para a cidade. Eles recebem tarefas e trabalhos para fazer. Naquela época, grãos e ovelhas não eram trazidos à terra. O filho do rei que criou a humanidade tem um novo esquema, mas ele percebe que a humanidade está retrocedendo.

Capítulo 7.5 – O filho do rei que criou Adão e Eva estava observando Adão e Evas. Um dia ele avistou várias jovens Evas e decidiu engravidá-las com seu esperma. Eles deram à luz. É agora o nonagésimo segundo shar, 331.200 anos, que os Annunaki estão na Terra. O filho do rei está em êxtase com os nascimentos e diz que criou o homem civilizado. Ele quer que isso seja um segredo. ele diz a seu vizir para esconder as duas crianças em sua casa e dizer que elas foram encontradas em cestos de junco no meio dos juncos. O filho do rei e sua esposa os criaram. O filho do rei, muito enganosamente, os fez passar, não como seus descendentes, mas como uma nova geração mais inteligente de Adão e Eva. Ele pede que grãos e ovelhas sejam trazidos para a Terra para que possam pastorear as ovelhas e colher grãos. Depois que os filhos homens e mulheres procriam (dão à luz dois filhos, Caim e Abel), o rei de Nibiru deseja que o homem terreno venha a Nibiru para uma visita.

As Oito Tábuas do Senhor Enki
Capítulo 8.1 – Chega a espaçonave para resgatar o homem. O filho do rei envia seus outros descendentes para acompanhar o macho. O filho do rei engana o homem dizendo-lhe para não comer ou beber coisas de longa vida porque é veneno e você morrerá. A nave parte e eles chegam em Nibiru. O rei vê pela primeira vez seus netos e um terráqueo.

Capítulo 8.2 – Em Nibiru, é oferecido ao terráqueo o pão e o elixir da longa vida. Ele não come nem bebe. O rei fica ofendido e pergunta por que não? Ele diz que vai morrer. Um dos netos do rei dá ao rei uma tábua dada a ele por seu pai com o propósito de dar ao rei seu pai. O rei lê e entende que o homem terreno é filho de seu filho. O filho do rei quer que o terráqueo retorne à terra e que seja seu destino viver e morrer na Terra. A verdadeira razão pela qual o filho do rei não queria que ele comesse e bebesse o alimento da longa vida era devido às preocupações com quaisquer futuras disputas de realeza, já que ele era seu filho. O terráqueo e um dos dois netos voltam à Terra.

Capítulo 8.3 – Os filhos gêmeos, Caim e Abel, aprendem a cavar canais de água e colher grãos, enquanto o outro é ensinado a pastorear ovelhas e fiar lã. Na primeira colheita há uma celebração e os dois homens gêmeos terrestres fazem suas oferendas aos dois filhos do rei. Uma celebração é feita. Mais tarde, Caim fica infeliz porque um dos filhos do rei não o elogiou por seu esforço. Caim e Capaz lutam por causa disso e Abel é morto. Capítulo 8.4 – Esta parte da tabuinha conta a história dos acontecimentos após o assassinato. Caim é exilado.



Capítulo 8.5 – Esta tabuinha detalha o ensinamento aos descendentes terrenos do filho do rei. Também menciona outros ensinamentos para outros descendentes. A adoração dos Anunnaki é criada. Isso aconteceu nos noventa e oito shar, ou 352.800 anos desde que os Annunaki pousaram na Terra. No centésimo quarto shar, ou 374.400 anos terrestres, a linhagem real na Terra, várias gerações depois, ainda tem bebês com suas meias-irmãs.

Capítulo 8.6 – Esta porção da tabuinha conta a história do fim da vida do primeiro homem terreno que o filho do rei fez com uma Eva. O homem terreno (pai de Caim e Abel) é considerado Adão. Ele nasceu no nonagésimo terceiro shar (334.800) e morreu no cento e oito shar (388.800), tornando-o com 54.000 anos terrestres quando morreu. Neste momento, os Anunnaki e os humanos terrestres casam-se.

A Nona Epístola do Senhor Enki
Capítulo 9.1 – Neste momento, os Annunaki e os humanos terrestres se casam. Dificuldades na Terra e em Marte devido à queima do Sol. O filho de um dos reis quer se casar com uma mulher terrena. Há uma objeção. O debate envolve a afirmação de que o casamento da linhagem real com meias-irmãs é um costume. O problema do casamento é a linhagem da realeza. Se a linhagem real se casar com uma mulher terráquea, o rei de Nibiru poderá eventualmente se tornar um terráqueo. O rei decreta que se o filho do rei se casar com uma terráquea, ele não poderá retornar a Nibiru e seu status de príncipe terminará. O filho do rei que comanda a Terra também afirma que ele e sua nova esposa não poderão ficar no Éden. A prole masculina do filho do rei se casa com uma mulher da Terra.

Capítulo 9.2 – Duzentos Igigi de Marte vieram ao casamento. Sem o conhecimento dos líderes do Éden, os duzentos Igigi de Marte decidiram raptar mulheres terrenas para serem suas esposas. Depois do casamento eles fizeram essa escritura. O comandante da Terra, que sempre foi contra a criação da humanidade, está triste por terem destruído a sua missão original. Antes uma missão sagrada, agora é uma ação maligna após a outra. Agora a Terra será invadida pela humanidade. A prole masculina do filho do rei que acabara de se casar foi basicamente banida para outra terra do outro lado do mar. Lá ele convidou os Igigi que haviam casado com terráqueas. O filho do rei que criou a humanidade gostou de uma mulher terrena casada. Ele pede ao filho que se casou com uma terráquea que reside na nova terra que peça a transferência do marido da terráquea para lá. O filho do rei que criou a humanidade agora visita frequentemente a nova terra e observa e seduz a mulher (história bíblica de Davi e Bate-Seba). Capítulo 9.3 – Bate-Seba engravida e tem um filho. O primeiro terráqueo de corpo branco, cabelos loiros e olhos azuis. Nasceu no centésimo décimo shar, ou 396.000 anos terrestres após a chegada dos Anunnaki. Existem pragas e fome na Terra. O comandante da Terra sente que a missão da Terra se tornou pervertida e detesta a humanidade terráquea. Os gritos dos terráqueos tornaram-se altos. Tanto que o comandante da Terra não consegue dormir. Um Annunaki queria ensinar aos terráqueos a arte da cura. O comandante Anunnaki da Terra disse não. A água não viria das fontes onde viviam os terráqueos. A vegetação não cresceu. O comandante da Terra proibiu qualquer ensino ou ajuda aos terráqueos. ele queria que os terráqueos morressem. Durante um shar (3.600 anos) os terráqueos comeram gramíneas. Isso continua por cerca de cinco shars. Existem manchas pretas no Sol. Os sábios de Nibiru falam dos planetas se movendo durante a próxima passagem do Sol por Nibiru.



Capítulo 9.4 – Os sábios de Nibiru dizem que as geleiras da Terra estão derretendo e que perderão o equilíbrio. O deslizamento das geleiras produzirá uma grande onda que inundará a terra. A Terra ficará sobrecarregada. O Rei em Nibiru diz a Marte e à Terra para se prepararem para a evacuação. Um sábio chefe vem à Terra com uma mensagem do rei. Ele os informa que o retorno de Annunaki a Nibiru foi afetado por se acostumar com os ciclos da Terra e por não ser capaz de se ajustar aos ciclos mais longos de Nibiru. Eles morrem mais rapidamente. Um dos filhos do rei sabia disso, mas o filho do outro rei, que é o comandante da Terra, está furioso. Ele está com raiva porque os terráqueos estavam se tornando como eles e eles estavam se tornando como os terráqueos. Ele sente que eles estão aprisionados no planeta Terra e antes eram senhores, agora são escravos. O sábio diz-lhes que devem permanecer na terra. Eles deverão subir em naves espaciais para esperar a calamidade passar. Os outros Anunnaki terão a opção de retornar ou esperar que a calamidade passe. Os Annunaki que se casaram com mulheres da Terra devem escolher entre suas esposas e a partida. Esta tabuinha implica que o dilúvio é um evento natural. Na Bíblia, Deus promete não permitir que a humanidade seja novamente destruída pelo dilúvio. Os Anunnaki são reunidos e informados sobre o evento que acontecerá e suas escolhas. Cada um decide ficar ou partir. Capítulo 9.5 – Os Annunaki fizeram suas escolhas. Depois eles perguntam sobre o destino da humanidade. O comandante da Terra declara que eles perecerão. Os Anunnaki gritam que não devem morrer. O comandante da Terra adverte seu irmão que os criou contra sua vontade. Que ele agiu pelas costas e interferiu em sua própria criação. O comandante da terra faz com que cada Annunaki faça um juramento. São dadas tarefas para os preparativos. As naves espaciais são atribuídas. O filho do rei que criou a humanidade vai mais uma vez pelas costas do irmão e decide coletar o DNA dos animais. Os estrondos da terra aumentam.



A Décima Tábua do Senhor Enki
Capítulo 10.1 – Esta tábua fala sobre o filho do rei, que criou os terráqueos, recebendo um sonho que lhe diz para informar Noé sobre o desastre hídrico que estava por vir. Noah deve construir um barco resistente para salvar sua família no dilúvio que se aproxima.

Capítulo 10.2 – Noé enganou as pessoas para ajudá-lo a construir um barco resistente. No sexto dia o navegador chegou com uma caixa de DNA animal. A época do dilúvio foi de cento e vinte shars (432.000 anos). Noah tinha dez shars (36.000 anos). O dilúvio foi uma combinação de onda e chuva. Suponho que a onda veio da calota polar sul desalojada e também choveu durante muitos dias. Tudo isso aconteceu por Nibiru, em sua órbita, passando próximo à Terra.

Capítulo 10.3 – Esta parte da tabuinha fala do dilúvio e do assentamento do barco de Noé na montanha próxima ao Ararat. Os Anunnaki voltam à Terra. O comandante da Terra encontra Noah e está pronto para matar seu irmão por causa de seu engano. Quando tudo é explicado ele se acalma. A única coisa que resta que não está enterrada em suas cidades é a pista de pouso da espaçonave.

Capítulo 10.4 – Após o retorno dos Annunaki à Terra, eles veem uma devastação total. Marte perdeu sua atmosfera e a água secou. Na Terra, os Anunnaki organizam e definem tarefas para reconstruir.

Capítulo 10.5 – Nibiru foi danificado pela atração de Marte e da Terra. A atmosfera em Nibiru também foi danificada. Nibiru precisa de mais ouro da Terra. A Terra diz ao rei que nenhum ouro pode ser extraído. As minas desapareceram. Mas um Annunaki que faz um levantamento do oceano encontra pepitas de ouro no chão. Ele também descobre que alguns membros do povo de Caim sobreviveram. A reconstrução e os preparativos para novas plataformas de pouso estão sendo feitos. Capítulo 10.6 – O local para pousar naves espaciais precisa de duas montanhas. Nenhum lugar era ideal. Eles constroem as pirâmides como montanhas para seu porto espacial.



Capítulo 10.7 – Esta última parte da tabuinha mostra os Anunnaki mais uma vez sendo egoístas, desejando poder e título. Eles dividem as terras entre eles.

A Décima Primeira Epístola do Senhor Enki
Capítulo 11.1 – Durante o shar seguinte (3.600 anos) a paz foi mantida. Mas é bom demais para durar. Um dos filhos do rei teve dois filhos. Um morava na terra com o pai e o outro morava perto do porto espacial. O filho do porto espacial ficou ciumento e ganancioso. Ele achava que seu pai deixaria suas terras para o filho que morava com ele. Então ele e sua esposa planejaram assassinar o irmão para que ele herdasse a terra. Fizeram uma festa e quando o irmão dele adormeceu de tanto beber, colocaram-no num caixão e jogaram-no no mar. Ele não foi encontrado até que estivesse morto. A esposa angustiada jurou vingança e pegou o sêmen do marido morto e engravidou. Ela criou um filho para se vingar. O filho cresceu e foi treinado. Ele levantou um exército. Chegou o dia e seu filho foi atingido por um dardo envenenado.

Capítulo 11.2 – Nesta parte da tabuinha seu filho derrota o tio que matou seu pai. Ele havia caído na Terra em sua nave. Ele está cego e seus testículos esmagados. O conselho permite que ele viva. O comandante da Terra percebe que esta foi a primeira vez que um terráqueo formou um exército. Ele avalia sua posição de ter portos espaciais em lugares e terras que não controla. Ele convoca seus três filhos e constrói um porto espacial desconhecido para os outros Annunaki. Outro interesse amoroso surgiu. Desta vez é entre descendentes de cada um dos filhos do rei. Todos, exceto um, esperam que isso traga paz. Capítulo 11.3 – Na preparação para o casamento, é costume que uma parente do sexo feminino vista a noiva. Durante o vestir, a noiva conta seus planos para o marido. Os planos são tão grandiosos que a parente que a veste conta ao pai do noivo. O pai fica alarmado e teme que a linhagem real dos outros filhos do rei leve vantagem. Então o plano dele é engravidar a filha do irmão (o noivo). Desta forma, a linhagem da realeza permanece intacta no seu lado da família. Como ele saberia que a prole seria masculina, eu não sei. Depois de engravidar a irmã, ele adormece. Ele tem um sonho de morte. Ao acordar, conta à irmã que acha que ele será acusado de estuprá-la. Ele foge da cidade e acaba perto de uma cachoeira. As pedras estão escorregadias e ele cai para a morte. Esta última parte é confusa. A futura noiva corre para o local onde estava o corpo do noivo. Ela é acusada pela irmã de querer engravidar do irmão do noivo. A conselheira da futura irmã da noiva diz que a irmã deveria amaldiçoá-la com sessenta pragas. O filho do rei que criou a humanidade e também é o avô do noivo forma dois emissários exangues que não podem ser prejudicados pelos raios da morte para ir resgatar a noiva. A conselheira da irmã da noiva atira um raio nos dois emissários, mas isso não os afeta. O conselheiro então mostra-lhes o corpo sem vida da noiva, pendurado em uma estaca. Os dois emissários direcionam um pulsar e um emissor sobre ela, colocam uma planta da vida em sua boca e borrifam seu corpo com a água da vida.



Capítulo 11.4 – Esta parte explica um pouco da confusão da última parte. A noiva foi ao submundo em busca do corpo do noivo. O submundo antigamente era o lugar da morte. Os dois emissários a trazem de volta à vida e saem do submundo levando consigo o corpo do noivo. A noiva quer vingança e exige a morte do pai do noivo, embora ele não tenha matado o filho. A noiva busca vingança iniciando uma guerra. Termina com o pai do noivo preso em uma câmara da pirâmide. Ele se sepultou e morrerá lá se nada for feito. Seu pai faz um acordo onde ele será exilado e desistirá da linhagem real.

Por tudo o que estes Anunnaki fazem e fizeram, isto parece injusto. Mas o comandante da Terra está a fazer política e conseguiu a vantagem. Seu irmão, por ser mais velho, deveria ser o próximo rei, mas com este evento a linhagem da realeza quase garante que a realeza nunca será a linhagem de seu irmão.

Capítulo 11.5 – Esta parte trata do resgate do pai da tumba da câmara e dos danos causados ​​​​dentro da pirâmide às pedras, vigas e farol. O comandante terrestre também reatribui terras. Isso traz à tona outra pergunta que ele tem para seu pai, o rei. Os terráqueos estão se multiplicando mais rápido que os Annunaki. Como os Anunnaki conseguem que os terráqueos os obedeçam e sirvam? O rei decide vir à Terra mais uma vez. Capítulo 11.6 – O farol da nave espacial foi realocado. O comandante terrestre reatribui terras. A noiva ainda quer que terras ela teria se o casamento tivesse sido consumado. Nada é dado a ela. Isso traz à tona outra pergunta que ele tem para seu pai, o rei. Os terráqueos estão se multiplicando mais rápido que os Annunaki. Como os Anunnaki conseguem que os terráqueos os obedeçam e sirvam? O rei decide vir à Terra mais uma vez.



A Décima Segunda Tábua do Senhor Enki
Capítulo 12.1 – O rei decide vir para a Terra. A reconstrução continua apesar de terem passado dois shars desde o dilúvio (7.200 anos). Uma coisa muito curiosa é mencionada aqui. O “olho erguido que perscruta as terras, o raio erguido que tudo penetra”. Isso me lembra o olho que tudo vê no topo da pirâmide. Como na nossa nota de um dólar.

Capítulo 12.2 – Esta é uma parte muito interessante. O rei chega e todos têm um grande banquete e cantoria. O rei e sua esposa dormem vários dias e noites. No sexto dia o rei convoca os dois filhos e a filha. Eles explicam a ele o layout da nova descoberta de ouro e da plataforma espacial, etc. Em seguida, eles falam sobre o emissário que ele lhes enviou antes do dilúvio. Aquele que veio em uma nave espacial e conversou com eles sobre o dilúvio e a mudança do ciclo de vida na Terra. Sobre como morreriam se voltassem para Nibiru. Em seguida, o mesmo emissário aparecendo em sonho a um dos filhos. O rei afirma que não enviou um emissário. Eles estão todos desnorteados.

Capítulo 12.3 – Muitas mudanças após a visita dos reis. Alguma reorganização das terras e uma nova abordagem aos terráqueos. Eles deveriam ser misturados com os Annunaki nas cidades. Eles também receberam uma cidade própria com seu próprio rei nomeado pelo comandante da Terra. Um sistema de pontos para realeza e autoridade foi concebido e dado. A noiva ainda está cheia de vingança e exige sua própria terra. Ela traça um esquema e o dirige ao avô (filho do rei) de seu noivo falecido. Ele é responsável por algo chamado MEs. Ela faz um plano para roubá-los dele. Ela chega em sua residência com pouca roupa e o seduz com música e vinho. Até agora ele está caindo no engano. Capítulo 12.4 – A noiva foi pega, mas não tinha os MEs com ela. O comandante da Terra parece ter despojado seu irmão da responsabilidade. O filho do irmão, que voltou do exílio, ficou muito furioso. Ele exigiu uma cidade sagrada própria. O tio comandante da Terra não lhe daria um. Ele assumiu a responsabilidade e reuniu alguns igigi para ajudá-lo. Eles começaram a construir a Torre de Babel. À noite, as forças dos comandantes da Terra destruíram-na e dispersaram o povo. Ele então deu a cada região um idioma e um alfabeto diferentes para usar. Os reis da cidade vieram e foram. As pessoas cantaram canções sobre a noiva que agora estava encarregada dos MEs.



Capítulo 12.5 – O outrora exilado filho do filho do rei recebeu o domínio sobre uma terra que seu irmão dominava. Durante 650 anos terrestres eles discutiram. O irmão mais novo finalmente partiu por insistência do filho do rei (seu pai). Ele partiu para novas terras do outro lado do oceano. Curiosamente, o outrora exilado filho do rei que criou os terráqueos agora é chamado de Rá (Rá era referido no Egito como o deus do sol). Rá agora substitui a face do leão próximo à pirâmide pela face de seu filho. As referências ao seu irmão mais novo foram apagadas. Parece haver uma história no Egito desse tipo de destruição dos remanescentes de antigos reis. Os Anunnaki tinham um sistema preciso de contagem por 60. Ra o substitui pela contagem por 10s.


Capítulo 12.6 – Esta parte da tabuinha começa com o pai dando alguns MEs a Rá. Ele lhe deu todo o conhecimento, exceto como reviver os mortos. Agora foi estabelecida uma terceira região e a noiva é dada como senhor dela. O filho do rei que ela seduziu e roubou MEs agora detém MEs dela com os quais ela precisa governar sua terra. Sua terra também ganha uma linguagem totalmente nova. A terceira região não conseguiu se comunicar por causa do idioma e quase entrou em guerra por causa disso. O comércio não acontece por causa da linguagem. A terceira região não floresceu por causa desta barreira.

A Décima Terceira Epístola do Senhor Enki
Capítulo 13.1 – A terceira região não floresceu. A noiva negligenciou sua região. Outras regiões não foram dadas a ela. Finalmente foi tirado dela. Ela era assombrada por seu noivo morto. Ela construiu uma casa para o prazer noturno. Ela tentou os homens para sua cama e os matou. Gilgamesh é um rei e deseja uma vida longa. Ele tenta, mas não consegue e morre.

Capítulo 13.2 – Rá fica incomodado com os acontecimentos da noiva. Ele agora está preocupado em alcançar a imortalidade. Ele instrui as pessoas a procurarem ouro. Eles invadem as terras de seus irmãos e ficam furiosos. Ra quer governar toda a Terra. A noiva viaja e encontra um povo numa terra que ela gosta. Os terráqueos aprendem as constelações.

Capítulo 13.3 – Os arquiinimigos se preparam para a guerra. A noiva e Rá. A guerra começa entre as famílias dos filhos dos dois reis. O comandante da Terra tem um sonho com o mesmo emissário que seus irmãos sonham. Capítulo 13.4 – O progresso da guerra e o filho do filho do rei que criou os terráqueos está vencendo. Ele grita para o comandante da Terra e seus seguidores que ele é o único governante e que eles deveriam se render. Mas o comandante da Terra tem uma vantagem. Ele sabe onde estão escondidas as armas do terror. Ele manda dois para carregá-los e usá-los, mas garantindo que as pessoas não sejam prejudicadas.



Capítulo 13.5 – As armas do terror desencadeadas. Já se passaram 1.736 anos desde o dilúvio. Tudo foi destruído pelas forças e seguidores de Ra. Depois, o vento soprou uma nuvem negra maligna que matou todos em seu caminho.

Capítulo 13.6 – Esta tabuinha é uma continuação da tabuinha anterior.

A Décima Quarta Tábua do Senhor Enki
Capítulo 14.1 – Esta última tábua tem os dois filhos do rei. Enki e Enlil voando por aí examinando os danos causados ​​pelas armas do terror. Os dois irmãos conversam e discutem o significado de tudo isso. O reino que RA tanto desejava agora é um terreno baldio. O comandante da Terra diz a seu irmão que o que Rá queria, ele pode ter. O que ele semeou agora pode colher (a terra radioativa). Quanto ao comandante da Terra, ele está indo para o oeste, onde está o campo de ouro, para completar a missão original.

COLABORE: Fazendo um PIX de qualquer valor você ajuda a manter o site Universo Alien fazendo pesquisas investigativas, análises, preparando e trazendo mais artigos interessantes. Use o QR-Code do PIX abaixo ou a chave PIX: [email protected]
Faça um gesto de doação, seja diferenciado!
PIX

colabore