Cientista soviético tentou criar híbridos entre humanos e chimpanzés

O livro “A Ilha do Dr. Moreau” é um dos mais aterrorizantes da história da ficção científica. Na obra, escrita por H.G. Wells, um cientista desenvolve bizarras criaturas híbridas entre humanos e animais. Na vida real, um pesquisador soviético tentou fazer algo parecido no início do século XX: ele queria criar um ser metade homem, metade chimpanzé.

Ilya Ivanovich Ivanov foi um biólogo pioneiro na técnica de inseminação artificial de animais. Segundo relatos da época, ele obteve sucesso em inseminar 500 éguas usando o esperma de apenas um cavalo. Com o tempo, ele começou a se interessar e produzir seres híbridos.

O cientista teria conseguido criar com sucesso cruzas entre uma zebra e um burro e entre um rato e um camundongo. Após esses experimentos bem-sucedidos, Ivanov disse a seus colegas que achava possível desenvolver uma criatura híbrida entre humano e chimpanzé (ou “humanzé”). Após a Revolução Russa de 1917, surgiu uma oportunidade para ele tentar colocar sua teoria em prática.

Em 1924, autoridades deram a Ivanov acesso a chimpanzés que viviam em uma propriedade na Guiné Francesa (atual República de Guiné). Após uma solicitação da Academia de Ciências Soviética, a Comissão de Finanças da URSS liberou cerca de dez mil dólares para que ele conduzisse seus experimentos. Em sua justificativa para solicitar o financiamento, o cientista afirmou que queria provar que a teoria de Darwin sobre o parentesco entre humanos e macacos estava correta, o que seria um golpe contra a religião.

Dois anos depois, ele tentou transplantar um ovário humano em uma fêmea de chimpanzé. Essa experiência não deu certo. Depois disso, ele teve a ideia de inseminar mulheres da Guiné com esperma de chimpanzé (sem que elas soubessem), mas o governo francês que administrava o território africano vetou o projeto.

Não satisfeito com a interrupção de seus planos, Ivanov tentou recrutar mulheres soviéticas dispostas a participar da experiência. Surpreendentemente, ele conseguiu ao menos cinco voluntárias. Mas, depois que a Academia Soviética soube de seus planos anteriores de inseminar mulheres africanas sem seu consentimento, o financiamento do projeto foi cortado. Depois disso,  surgiram boatos que Stálin teria convocado o cientista para tentar criar um exército de “humanzés”embora tudo indique que o rumor não tenha fundamento.  Ivanov morreu após ter sido exilado em um dos famosos expurgos soviéticos .  


Fonte: IFLScience

Imagens Wikimedia Commons e Shutterstock.com

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: