Sergei Krikalev, o cosmonauta que foi “abandonado no espaço”

Sergei Krikalev, o cosmonauta que foi “abandonado no espaço”

20/02/2022 0 Por Jonas Estefanski

Em 4 de outubro de 1991, um cosmonauta chamado Sergei Krikalev foi esquecido no espaço. Enquanto Krikalev se aproximava do fim de sua última missão na estação espacial Mir, depois de mais de cinco meses no espaço, na Terra seu país natal estava desaparecendo.

Esta é a odisseia de Sergei Krikalev, o cosmonauta que depois de mais de 10 meses orbitando a Terra… aterrissou em um país que não existia mais. Todo esse tempo abandonado no espaço o fez entrar para a história como “o último cidadão soviético”

último cidadão soviético

Sergei Krikalev nasceu na antiga União Soviética em Leningrado (atual São Petersburgo) em 27 de agosto de 1958.

Graduou-se como engenheiro mecânico pelo Instituto Mecânico de Leningrado em 1981 e alguns anos depois foi selecionado como cosmonauta no distante 1985.

Aos 30 anos, Krikalev iniciou sua primeira missão em novembro de 1988 a bordo de uma espaçonave Soyuz TM-7 que o levou para a estação espacial Mir por 152 dias.

Mas a segunda vez que seu corpo gravitasse naquele lugar seria digno de um romance de ficção científica.

“O último cidadão soviético”

Sergei Krikalev foi obrigado a ficar 313 dias no espaço graças a uma série de processos burocráticos, falta de fundos, mas sobretudo porque sua URSS natal estava desaparecendo do mapa.

Seu governo simplesmente parecia ter coisas mais importantes para resolver do que trazer de volta um ser humano que se tornou, talvez, o primeiro refém espacial preso em 400 metros cúbicos a mais de 300 quilômetros da superfície.

“Ninguém ordenou que ele ficasse no espaço, mas a verdade é que ninguém pode dizer que ele aceitou com prazer também”, reconheceu o vice-diretor de Missões Espaciais, Yuri Teplakov.

No entanto, Krikalev não estava sozinho. Ao seu lado, encontrou seu compatriota Aleksandr Volkov e o astronauta alemão Klaus-Dietrich Flade, que mais tarde chegou à estação espacial Mir.

“Eles treinaram para não serem consumidos pela falta de peso e até tentaram arrecadar fundos do espaço filmando comerciais da Coca-Cola, mas nada foi suficiente.”

Enquanto Krikalev permaneceu preso, sua família também sofreu com sua ausência. O salário de Krikalev foi reduzido para menos de 3 dólares por mês, ao câmbio da época.

313 dias depois, Krikalev conseguiu retornar em segurança, mas nada foi o mesmo. A espaçonave Soyuz TM-13 pousou em outra realidade: na estepe do Cazaquistão às 11h51, horário de Moscou, em 25 de março de 1992.

Mais tarde, o cosmonauta, agora russo, fez história novamente ao se tornar o primeiro astronauta russo a voar a bordo de um ônibus espacial americano.