Rocha marciana sumiu após ser coletada pelo rover Perseverance da NASA

Rocha marciana sumiu após ser coletada pelo rover Perseverance da NASA

11/08/2021 0 Por Jonas Estefanski

1ª amostra marciana coletada pela Perseverance parece ter sumido, e ninguém entende como isso é possível
Nas últimas semanas, depois de muito trabalho, o robô Perseverance da NASA conseguiu coletar a primeira amostra do solo marciano, que deve ser enviada de volta à Terra

E na verdade essa é só a 1ª entre muitas amostras que ainda devem ser reunidas.
Isso aconteceu em 6 de agosto de 2021, quando o Perseverance perfurou uma rocha e extraindo uma amostra para o tubo de coleta. Tudo pareceu correr conforme o planejado, e a missão foi considerada bem-sucedida.
O problema é que, ao que parece, não há nenhuma amostra no tubo de coleta. O material aparentemente sumiu… e agora os especialistas tentam entender como um pedaço de rocha pode ter desaparecido.

Perseverance está equipado com 43 tubos de amostragem de titânio que podem ser usados para coletar rochas e regolito, que é o solo solto na superfície de Marte.
O Sistema do rover conta com um braço robótico de 2 mts de comprimento que extrai a amostra e as sela nos contêineres.

Essa imagem feita pela câmera do rover Perseverance no dia 06 de agosto de 2021 mostra o buraco feito pela broca do rover a fim de coletar sua primeira amostra em Marte

Essa imagem feita pela câmera do rover Perseverance no dia 06 de agosto de 2021mostra o buraco feito pela broca do rover a fim de coletar sua primeira amostra em Marte.Créditos: NASA / JPL-Caltech
“O processo de amostragem é autônomo do início ao fim. Uma das etapas que ocorre após a colocação no tubo de coleta é medir o volume da amostra. A sonda não encontrou a resistência esperada que estaria lá se uma amostra estivesse dentro do tubo”, disse Jessica Samuels, gerente da missão de superfície do Perseverance no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA, em um comunicado.
A equipe do Perseverance planeja agora usar o gerador de imagens WATSON (Wide Angle Topographic Sensor for Operations and eNgineering) para examinar o local escavado e tentar descobrir o que aconteceu.

A principal hipótese considerada pelos especialistas sugere que a falha não está no sistema, mas na rocha.
“O pensamento inicial é que o tubo vazio é mais provavelmente o resultado do alvo da rocha não reagir da maneira que esperávamos durante a retirada do núcleo e menos provavelmente um problema de hardware com o Sistema de Amostragem e Cache. Nos próximos dias, a equipe passará mais tempo analisando os dados e fazendo diagnósticos adicionais para auxiliar no entendimento da causa raiz do tubo vazio”, disse Jennifer Trosper, gerente de projeto do Perseverance no Laboratório de Propulsão a Jato.

Mesmo com essa aparente falha, os cientistas consideram que imprevistos como esse são comuns quando tentamos algo tão audacioso como coletar material de outro planeta através de um robô completamente autônomo.
“Estou confiante de que temos a equipe certa trabalhando nisso e vamos perseverar em busca de uma solução para garantir o sucesso futuro”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da NASA.

A ideia é que todo o material coletado dessa e de outras perfurações nos dê mais detalhes sobre o Planeta Vermelho e, quem sabe, finalmente possamos responder à pergunta: “algum dia houve vida em Marte?”.

Imagens: (capa-NASA) / NASA / Perseverance / JPL-Caltech / divulgação