Restos de “gigantes de 5.000 anos” são  descobertos na China

Restos de “gigantes de 5.000 anos” são descobertos na China

03/08/2022 0 Por Jonas Estefanski

Na província de Shandong encontraram os restos de uma civilização neolítica que se desenvolveu na bacia do Rio Amarelo. Até o momento, os cientistas descobriram os restos de mais de 100 edifícios e 200 túmulos.

 Arqueólogos chineses descobriram os restos mortais de humanos altos que viveram lá há aproximadamente 5.000 anos  na província oriental de  Shandong , informou hoje a Agência TASS . 

Segundo os pesquisadores, a altura dessas pessoas excepcionalmente altas excedeu  um metro e noventa . Eles acreditam que os restos encontrados pertencem a membros da civilização neolítica  Longshan , que habitava a bacia do Rio Amarelo (também conhecido como  Huang He ).

“Chegamos a esta conclusão depois de estudar os ossos. Em vida, eles eram sem dúvida ainda mais altos.”

Chefe  do  Centro de Estudos de História e Cultura da Universidade de Shandong ,  Fang Hui , a repórteres  .

“Acho que esse número se explica pela presença de fontes alimentares abundantes às quais essas pessoas tiveram acesso”, acrescentou.

A descoberta ocorreu durante escavações na área da  cidade de Jinan  que começaram em 2016. Até o momento, os cientistas descobriram os restos de 104 casas, 205 túmulos e cerca de 20 poços de sacrifício perto da cidade de Jiaojia. , no distrito de Zhangqiu da cidade de Jinan, capital de  Shandong .

Os arqueólogos também determinaram que esses ancestrais dos chineses que viviam no leste do atual território do país em 3000 aC desenvolveram notavelmente o cultivo de milho e arroz.

Entre outras atividades, dedicavam-se ao cultivo de cereais e à criação de porcos. Uma característica distintiva desta cultura era o alto nível técnico de sua cerâmica, como indicam os inúmeros vestígios de potes e vasilhas encontrados.

O sítio arqueológico  de Jiaojia  cobre cerca de  240.000 metros quadrados e apenas 2.000 metros quadrados  foram escavados  .

Veja aqui o vídeo da descoberta: