Novos cálculos apontam que existem pelo menos 36 civilizações extraterrestres em nossa galáxia aptas ao Contato!

Novos cálculos apontam que existem pelo menos 36 civilizações extraterrestres em nossa galáxia aptas ao Contato!

24/12/2021 0 Por Jonas Estefanski

Conforme relatado pelo tablóide The Guardian novos cálculos apresentam estimativas para civilizações de outros Mundos capazes de se comunicarem entre si. Na verdade de acordo com pesquisas e cálculos feitos por astrofísicos hoje pode haver mais de 30 civilizações inteligentes em nossa galáxia capazes de se comunicar com outros planetas.

Em 1961 o astrônomo Frank Drake propôs o que ficou conhecido como a equação de Drake, estabelecendo sete fatores que deveriam ser conhecidos para fornecer uma estimativa do número de civilizações inteligentes “lá fora”

Esses fatores variam entre o número médio de estrelas que se formam a cada ano na galáxia e o tempo que uma civilização envia sinais detectáveis. Mas alguns dos fatores são mensuráveis. 


As estimativas da equação de Drake variam de zero a alguns bilhões de civilizações. É mais uma ferramenta para pensar sobre questões do que algo que foi realmente resolvido ”, disse Christopher Conselice professor de astrofísica da Universidade de Nottingham e co-autor da nova pesquisa.

O Prof. Conselice e seus colegas relatam no Astrophysical Journal como refinaram a equação com novos dados e hipóteses para apresentar suas estimativas. “ Basicamente, presumimos que a vida inteligente se formaria em outros planetas semelhantes à Terra, como aqui. Em outras palavras em alguns bilhões de anos a vida se formaria automaticamente como uma parte natural da evolução ” , disse o astrônomo.

Os especialistas dizem que o novo trabalho não só oferece percepções sobre as possibilidades de vida fora da Terra, mas também pode lançar luz sobre o nosso futuro e assim olhar para o cosmos. “ Eu acho que é extremamente importante e emocionante porque pela primeira vez nós realmente temos uma estimativa do número de civilizações inteligentes e ativas em termos de comunicação, com as quais poderíamos entrar em contato e descobrir que há mais vida no universo , “ele disse. cientista.


O Prof. Conselice acrescentou que embora seja uma teoria especulativa ele acredita que a vida alienígena teria semelhanças com a vida na Terra mesmo no que diz respeito a civilizações mais avançadas que a nossa.
Sob o mais estreito conjunto de premissas no qual como na Terra as formas de vida teriam surgido entre 4,5 e 5,5 bilhões de anos após a formação de suas estrelas, existem provavelmente entre quatro e 211 civilizações na Via Lattea hoje capazes de se comunicarem com outras, 36 é um número mais provável, mas certamente existem muitos mais.

Mas Conselice observou que esta é uma estimativa conservadora, principalmente porque se baseia em há quanto tempo nossa própria civilização envia sinais ao espaço em um período de apenas 100 anos.


A equipe acrescenta que nossa civilização precisaria sobreviver pelo menos mais 6.120 anos para estabelecer comunicação bidirecional. “Eles estariam muito longe… 17.000 anos-luz é o nosso cálculo para o mais próximo”, disse Conselice.  “Se encontrarmos as coisas mais próximas … isso significaria que a vida das civilizações é de mais de 100 ou algumas centenas de anos. Isso indicaria que uma civilização inteligente pode durar milhares ou milhões de anos. Quanto mais perto encontrarmos, melhor será a sobrevivência a longo prazo de nossa própria civilização ”, disse o cientista.

Professor Andrew Coates, do Laboratório de Ciências Espaciais Mullard. na University College London ele disse que as suposições feitas por Conselice e seus colegas são razoáveis, mas por enquanto a busca pela vida provavelmente ocorrerá mais perto de casa.


“É um resultado interessante mas será impossível testar com as técnicas atuais”, disse ele. “Enquanto isso a pesquisa para saber se estamos sozinhos no universo incluirá visitas a prováveis ​​objetos em nosso sistema solar, por exemplo, com nosso rover Rosalind Franklin a Marte, e futuras missões às luas de Júpiter e Saturno Europa, ‘Enceladus e Titan. É um momento fascinante em busca de vida em outro lugar ”, concluiu Coates.