Max Laughlin e sua controversa teoria: o CERN nos enviou para um universo paralelo?

Max Laughlin e sua controversa teoria: o CERN nos enviou para um universo paralelo?

11/05/2022 0 Por Jonas Estefanski

Max Laughlin tem impressionado o mundo há alguns anos com seu intelecto incrível.

O jovem fez várias declarações que comprometem a comunidade científica, mas a mais chocante está relacionada ao CERN e como ele pode ter destruído nosso universo.

Considerado uma criança genial e listado como o “jovem mais inteligente do mundo”, Max Laughlin surpreendeu o mundo com suas grandes habilidades intelectuais.

Com apenas 13 anos conseguiu desenvolver do zero um dispositivo próprio para acesso à energia. Um sistema capaz de fornecer toda a energia necessária sem a necessidade de petróleo, carvão ou energia solar.

A teoria de Max Laughlin

Muitas pessoas o comparam a Nikola Tesla, chamando-o, mesmo considerando-o sua reencarnação. Obviamente, isso nada mais é do que um paralelo ao gênio que pode ter mudado o mundo.

No entanto, quando você ouve uma das teorias mais polêmicas dadas por esse pequeno gênio, as dúvidas nos assaltam…

Essa pequena eminência intelectual sugeriu que a Organização Européia para Pesquisa Nuclear, mais conhecida como CERN, destruiu nosso Universo e atualmente vivemos em um Universo paralelo.

Vale lembrar que não é a primeira vez que o CERN, aquele túnel gigante sediado na Suíça, foi usado por cientistas para quebrar partículas subatômicas na tentativa de recriar o Big Bang.

Como resultado de todos esses experimentos, é possível que nossa realidade, o próprio Universo, tenha sido destruído. Como resultado disso, todos nós estamos atualmente em um Universo paralelo.

Hostilidade em relação ao menino gênio?

Essa não é a primeira teoria de que Máx Laughlin surpreende moradores e desconhecidos e que, além disso, tem gerado desconforto na comunidade científica.

No vídeo você pode ver como o menino explica detalhadamente para pessoas muito mais velhas, e usando apenas um guardanapo, tudo relacionado ao espaço confinado infinito e aos universos alternativos e paralelos.

Embora possa parecer loucura, mesmo vindo de um jovem prodígio, a explicação repleta de dados nos mostra uma hipótese que, afinal, pode ser muito provável.

Na verdade, baseia-se no princípio que o físico Thomas Kuhn descreve em seu livro “A Estrutura das Revoluções Científicas”.

É por esta razão que Max começou a gerar grande hostilidade e resistência dentro da comunidade científica.

Poderia ser esta a razão pela qual tantos “erros” acontecem em nosso mundo? As chamadas “falhas na Matrix”, que vêm aparecendo em mais de uma ocasião, como o famoso “Efeito Mandela”. É difícil obter uma explicação coerente para todos esses eventos, da mesma forma que é difícil acreditar na teoria de Max Laughlin.