ETs podem enviar asteroides para destruírem cidades, afirma professor

ETs podem enviar asteroides para destruírem cidades, afirma professor

07/01/2022 0 Por Jonas Estefanski

Um professor afirmou que invasores alienígenas podem transformar asteroides em armas para destruírem cidades e tirar todos os seus recursos da Terra.

O especialista, que se especializou na mudança da face da guerra, afirmou que os OVNIs enviariam sondas para explorar a Terra antes do ataque teórico.

O professor Paul Springer, da Escola de Comando e Estado-Maior dos Estados Unidos no Alabama, fez essas afirmações absurdas durante uma entrevista ao Sun Online.

Ele se manifestou depois que o Pentágono publicou um relatório em junho do ano passado admitindo pela primeira vez a confirmação de que há algo em seus céus que os Estados Unidos não conseguem explicar.

Seguindo o relato, o Congresso e o Senado votaram em um plano para um novo escritório OVNI dedicado para investigar o fenômeno.

No entanto, o Prof. Springer acredita que se uma invasão ocorrer, seria como os europeus colonizaram as Américas há 300 anos – os recursos secaram e os indígenas foram dizimados.

Ele acrescentou que os alienígenas podem muito bem ser nômades, procurando planetas com sondas em uma tentativa de garantir algo que desejam e as armas nucleares da Terra seriam eliminadas com lasers ou armas improvisadas, como asteroides guiados até os alvos.

Outras armas usadas podem ser um vírus feito sob medida que simplesmente extermina a população humana – deixando a Terra pronta para ser limpa.

Durante a entrevista, ele disse:

“Também é possível que as civilizações que estão fazendo contato conosco estejam tendo que adaptar ferramentas comuns para serem armas.

Eles podem ter que adaptar o que eles têm com eles.”

No que diz respeito à defesa, o professor afirma que os militares terão duas prioridades – sobreviver e depois capturar os alienígenas e sua tecnologia.

Esta informação vem após relatos de que um asteroide do tamanho de um arranha-céu, com aproximadamente 100 metros de largura, está se dirigindo para a atmosfera da Terra.

A enorme rocha foi rotulada como “um objeto potencialmente perigoso” por especialistas espaciais da NASA, pois vai passar a cerca de 7,4 milhões de quilômetros da Terra.

(Fonte)