Em vídeo polêmico homem diz que socorreu “viajantes do tempo”

Em vídeo polêmico homem diz que socorreu “viajantes do tempo” em uma rodovia de São Paulo. Depois que o Portal Vigília republicou a matéria “Óvnis podem estar sendo pilotados por humanos que viajam no tempo, diz estudioso” passou a circular nos grupos de ufologia do facebook uma reportagem feita pela Rede TV! onde um homem afirma ter socorrido “viajantes do tempo” em uma rodovia do interior de São Paulo.

A história curiosa suscitou inúmeros comentários e vários questionamentos por parte dos participantes dos grupos. Afinal, aquele homem estaria mesmo falando a verdade ou seria mais uma mentira envolvendo a ufologia?

Por medo o homem optou por não se identificar. O vídeo em questão está disponível no final da matéria.

Homem socorreu viajantes do tempo

Tudo teria acontecido na noite de 25/09/2005 em uma rodovia que passa pela cidade de Sumaré, no interior de São Paulo.

De acordo com o homem, o enfermeiro-chefe de um serviço de socorristas que auxilia vítimas de acidentes nas estradas, ele o motorista da ambulância receberam o chamado de um grave acidente que acabara de acontecer.

Ao chegar no local onde teria ocorrido o suposto acidente seus olhares foram de imediato atraídos para luzes que saiam da mata. No primeiro momento acreditaram serem os faróis do veículo acidentado, por isso se apressaram em adentrar a vegetação.

Entretanto, ao se aproximarem foram surpreendidos ao encontrar não um carro, mas uma aeronave, uma espécie de esfera metálica com dois humanoides dentro.

Viajantes do tempo eram humanoides

No depoimento dado ao repórter o enfermeiro explica que a nave estava “arrebentada” por conta do acidente e os humanoides pareciam com extraterrestres que aparecem na TV.

Os humanoides teriam cerca de 1,60m de altura e pareciam humanos, apenas as cabeças eram um pouco maiores.

Um deles estaria com várias fraturas expostas, já sem vida. Já o outro tinha ferimentos leves e estava vivo.

“Aí a gente começou a se comunicar. Ele falava, só que a gente não entendia o falar dele. Mas um dispositivo, algum mecanismo, traduzia essa fala pra gente”, contou o socorrista.

“O que ele no desespero do atendimento  quis passar é que ele era um ser humano igual a gente. Respirava igual, tinha coração, tudo igual o ser humano. E era para eu fazer o atendimento igualzinho”, continuou.

Evolução da espécie humana

Socorrista e motorista então colocaram os humanoides na ambulância e passaram a prestar os primeiros socorros.

Na conversa que tiveram enquanto o atendimento era feito o humanoide teria contado que eles não eram extraterrestres, mas uma evolução da espécie humana.

“O que ele passou foi que eles viajam no tempo, que são um processo de evolução nossa. Que o ser humano vai chegar nesse estágio de evolução, nessa forma que é dele”, explicou o socorrista.

Sobre o objetivo da visita dos humanoides, a missão seria coletar material genético pra trabalhar e corrigir problemas que eles têm no futuro. Os viajantes também não fariam contato para não alterar a linha do tempo e nem os fatos históricos.

Levados pelos militares

Durante o atendimento o humanoide teria recomendado um procedimento médico inverso ao que é utilizado hoje. Ao invés de aquecer o corpo a vítima, o ideal seria resfriá-lo.

O humanoide também teria disponibilizado algo parecido com micro cristais para o socorro, uma substância que coagulava os machucados e estancava as hemorragias.

O contato todo teria durado aproximadamente 10 minutos. Por determinação superior a dupla de socorristas foi orientada a levar os corpos para a Universidade de Campinas (Unicamp), há poucos quilômetros de onde estavam.

“Na metade do trajeto nós fomos abordados por viaturas militares e foi feito o transbordo dos dois seres para as viaturas deles. A partir daí voltamos para a base não tivemos mais contato com esse tipo de coisa”, lembra o homem.

O homem finaliza lembrando que posteriormente foi feita uma reunião na empresa e foi feito um pedido para que a história ficasse em total sigilo pois poderia comprometer até as vidas deles.

Ele destaca ainda que meses após o ocorrido a dupla foi afastada das suas funções por determinação de autoridades ligadas ao governo.

Nota da Redação

Para a equipe do Portal Vigília a reportagem da Rede TV! falhou em não conversar com o motorista que acompanhou o enfermeiro-chefe no resgate.

Aparentemente a equipe de reportagem também não buscou junto à empresa de socorro o áudio original da conversa da noite do incidente.

Por fim, a reportagem não ouviu o exército ou a Unicamp para obter mais detalhes do fato relato.  Certamente o relato teria muito mais credibilidade.

Veja o vídeo:

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: