“Em 2045, tornarei todos vocês imortais” O plano de um milionário russo para obter a vida eterna

Desde que os humanos apareceram pela primeira vez no planeta, um tema tem assombrado a humanidade: a morte e o que vem a seguir. É o assunto de incontáveis ​​volumes de literatura, a base de muitas religiões, e também tem sido escrutinado pela ciência por décadas.

imortal
Os humanos se tornarão imortais em 2045?

E se todos nós pudéssemos ser imortais? Viver para sempre seria algo que buscaríamos e escolheríamos?

A resposta para o bilionário russo Dmitry Itskov é um entusiasta sim, e ele está colocando seu dinheiro onde está, fundando a Iniciativa 2045 para fazer da imortalidade apenas mais um salto tecnológico que podemos alcançar .

Projeto Avatar, 2045

O que exatamente é a Iniciativa 2045?

A equipe de 2045 está trabalhando para criar um centro de pesquisa internacional que se concentrará em robótica antropomórfica, transumanismo, cibernética e modelagem de sistemas vivos. A iniciativa 2045 se dedica à proposição de que consciência e vontade humana podem um dia ser combinadas com máquinas, uma vez que a infraestrutura do cérebro é mapeada e pode ser recriada em um ambiente digital.

Itskov e seus seguidores estão convencidos da inevitabilidade desse desenvolvimento.

“’Nos próximos 30 anos, assegurarei que todos possamos viver para sempre’, disse Itskov à BBC em 2016. ‘Estou 100% certo de que isso vai acontecer.’

O projeto da Iniciativa 2045 sugere que a imortalidade começará com quatro etapas:

O corpo humanóide que tenta erguer o projeto (o avatar) é a base da extensão final da vida. Do lado biológico, um sistema de suporte de vida será desenvolvido para abrigar um cérebro humano dentro do avatar e mantê-lo vivo e funcional.

Uma fase posterior do projeto investigará a criação de um cérebro artificial para o qual a consciência individual original pode ser transferida. O avatar será composto por quatro fases:

  • Avatar A:  Uma cópia robótica de um corpo humano capaz de interpretar comandos diretamente da mente e enviar informações de volta para que possam ser interpretadas através da interface cérebro-computador. Estima-se que possa ser alcançado em 2020.
  • Avatar B:  Um avatar em que um cérebro humano é transplantado no final da vida. O Avatar B teria um sistema independente que fornece suporte de vida para o cérebro e permite que ele interaja com o ambiente, possivelmente montado em um Avatar A. existente. O prazo para esta fase é o ano de 2025.
  • Avatar C:  Um avatar com um cérebro artificial para o qual uma personalidade humana é transferida para emulação no final da vida. Estima-se que a primeira tentativa bem-sucedida de fazer o upload da personalidade para uma IA ocorrer por volta do ano 2035.
  • Avatar D:  Um avatar do tipo holograma. Este é o objetivo final do projeto, mas é opcional, uma vez que, supondo que o upload de dados seja involuntário ou que todos os seres humanos decidam fazê-lo, as doenças biológicas terão que ser prevenidas na fase anterior, e que agora mesmo está longe da conquista tecnológica e do nosso entendimento físico no curto e médio prazo.

Claro, só com essa parte já temos para um bom filme de ficção científica. No entanto, até agora não falamos sobre como diabos eles vão fazer isso. Isso é tudo o que se sabe dentro do sigilo do projeto.

Essa mudança seria uma boa ideia ou seria o fim da humanidade como a conhecemos? 

Seria o fim da humanidade como a conhecemos? 

Acontece que duas coisas podem servir para tornar a Iniciativa 2045 nada mais do que um sonho irreal:

Em primeiro lugar, é baseado em ciência que se baseia principalmente na fase especulativa. Embora interfaces cérebro-computador eficazes tenham sido desenvolvidas, os outros passos no caminho para a imortalidade imaginados pelo grupo de Itskov estão longe de se concretizarem. Itskov tem muito dinheiro, mas todo o dinheiro do mundo não levará a ciência duas ou três gerações além de onde está pronta.

O outro problema com a Iniciativa 2045 é que seus conceitos do que são a mente, o cérebro e a consciência, e como funcionam, podem ser baseados em um castelo de cartas.

Além disso, há a questão do que acontecerá mesmo se alcançarmos a imortalidade. Viver para sempre é realmente uma bênção ou poderia ser uma maldição? Talvez haja realmente uma vida após a morte e, ao evitar a morte, também nos privamos das recompensas que potencialmente nos aguardam do outro lado. Em vez de descansar e dormir, poderíamos ser acorrentados a corpos robóticos dos quais não temos esperança de escapar. E essa pode muito bem ser a forma definitiva de inferno. Diga-nos nos comentários o que você achou desse projeto que esse bilionário quer realizar. 

FONTE

Você pode gostar...

Deixe um comentário