‘DNA Não-Humano’ Encontrado nos Restos Mortais de Uma Rainha Suméria?

‘DNA Não-Humano’ Encontrado nos Restos Mortais de Uma Rainha Suméria?

18/02/2022 0 Por Jonas Estefanski

Em várias civilizações antigas ao redor do Mundo, foram encontrados certos indícios que sugerem um contato ancestral com algo fora da Terra. Uma intervenção alienígena no passado remoto? Uma dessas evidências que está sendo considerada pelos pesquisadores é o que foi descoberto nos restos de uma antiga rainha suméria : DNA não humano. 


Como que isso foi parar alí? Tem origem fora da Terra? Alienígenas do passado modificaram o DNA dos terráqueos? De acordo com os teóricos dos antigos astronautas, seres de outros planetas visitaram a Terra em um passado distante e modificaram o DNA dos primeiros humanos para seu benefício pessoal. Essa teoria também ganhou alguns adeptos no campo científico. Dois cientistas chamados Vladimir Sherbak e Maxim Makukov estavam convencidos de que os seres humanos foram geneticamente modificados por alienígenas antigos . Sherbak e Makukov disseram em um comunicado:


“O DNA humano parece ter sido criado com precisão matemática. Arranjos simples do código revelam um conjunto de padrões aritméticos e ideográficos de linguagem simbólica. Além disso inclui o uso de notação decimal e transformações lógicas precisas e sistemáticas.
Um renomado autor chamado Zecharia Sitchin dedicou sua vida a desvendar o mistério das origens humanas e sua antiga conexão com alienígenas. Apenas alguns meses antes de sua morte ele desafiou o Museu de História Natural a realizar testes de DNA nos restos mortais da “rainha Puabi” suméria. Ele estava disposto a apostar tudo o que havia escrito sobre os antigos astronautas no teste de DNA. 

Colares e cocares sumérios descobertos em túmulos reais (e individuais), mostrando como eles podem ter sido usados. Museu Britânico. Imagem: JMail / Wikimedia Commons


Sitchin acreditava que os restos mortais de uma senhora suméria de alto escalão de 4.500 anos poderiam conter os genomas de deuses e semideuses sobre os quais ele falava desde a década de 1970.E poderia ter provado que os deuses Annunaki , conforme descrito no antigos textos sumérios e tabuletas, DNA humano alterado.  


Quem foi a Rainha Puabi? Durante as escavações na antiga cidade suméria de Ur o arqueólogo britânico Leonard Woolley descobriu o túmulo de Puabi na década de 1920 juntamente com outros 1.800 túmulos. A tumba de Puabi permaneceu intocada por ladrões por milhares de anos pois foi encontrada com um cocar ornamentado e um par de brincos no Cemitério Real de Ur. Embora haja ceticismo sobre seu status real vários selos cilíndricos encontrados em sua tumba a descrevem como “Nin”, que significa rainha. 


Além disso não havia referência ao marido nos selos para apoiar a teoria de que ela governava por conta própria. Sitchin tinha certeza de que ela havia sido a pessoa importante na antiga sociedade suméria. O Museu de História Natural de Londres determinou que ela provavelmente morreu quando tinha cerca de 40 anos e era rainha da Primeira Dinastia de Ur. 

Rainha Puabi
Seus restos mortais foram descobertos no mesmo período do túmulo de Tutancâmon no Egito nas décadas de 1920 e 1930. Foi uma das descobertas mais importantes do século 20. Sitchin escreveu mais de dezenas de livros, alegando que existe um 12º planeta além de Netuno conhecido como ” Nibiru ” que chega ao nosso sistema solar interno uma vez a cada 3.600 anos. 


De acordo com Sitchin uma raça avançada de alienígenas semelhantes a humanos vive em Nibiru e eles s

ão o elo perdido na evolução do Homo sapiens. Ele afirmou que esta raça é chamada de Annunaki e foi mencionado nas escrituras sumérias como os Nephilims também mencionados no livro do hebraico (Bíblia). 


Sitchin sugeriu que Puabi era um antigo semideus geneticamente relacionado aos Annunaki. Há muitos exemplos em textos antigos de seres que tinham força sobrenatural, inteligência, boa saúde e longevidade. Sitchin sugeriu que quem quer que seja nosso criador deliberadamente limitou nossa força.Ele queria que os cientistas testassem o DNA de Puabi porque acreditava que seus restos mortais conteriam as respostas para um elo genético perdido na evolução humana. 

Selo cilíndrico encontrado no túmulo da rainha Puabi. 
Sitchin disse em uma entrevista à NBC News em 2010: 
“Talvez comparando o genoma deles com o nosso descobriríamos quais são os genes ausentes que eles deliberadamente não nos deram. Não posso garantir isso, mas talvez.” 


Por isso ele pediu ao museu que fizesse um estudo de DNA dos restos mortais de Puabi. O Museu de História Natural respondeu ao seu pedido, dizendo que só aceitaria tais pedidos de um “pesquisador com experiência e habilidades reconhecidas neste campo, ou com acesso a instalações necessárias para realizar análises de DNA antigo”. Não está confirmado se o teste de DNA foi feito nos restos mortais da rainha Puabi, mas Sitchin apostou toda a sua vida nisso. Infelizmente após sua morte, tudo voltou ao “normal” já que ninguém se preocupou em continuar com seu pedido.Fonte