Dedo de 15 polegadas de comprimento pode ser evidência da existência de gigantes

Dedo de 15 polegadas de comprimento pode ser evidência da existência de gigantes

28/07/2022 0 Por Jonas Estefanski

Em 2012, o jornal alemão Bild.de escreveu sobre uma estranha descoberta no Egito. Lá, durante as escavações, um gigante de 38 centímetros (15 polegadas) mumificado, presumivelmente humano, foi descoberto.

A publicação escreveu que o dedo foi descoberto em 1988.

Em uma pirâmide a cem quilômetros a nordeste do Cairo, o dedo foi descoberto por um empresário e explorador suíço Gregor Spörri. O autor do achado diz que o dedo estava envolto em trapos velhos.

“Fiquei completamente surpreso quando vi esse dedo marrom escuro!” – Spörri compartilhou suas impressões com a agência de notícias alemã.

Segundo ele, até foi autorizado a pegá-lo nas mãos e tirar algumas fotos, mas, apesar de todos os apelos, foi proibido de levar o achado para um estudo mais aprofundado.

O dono do dedo gigante era, segundo Gregor Spörri, um ladrão de túmulos que adquiriu a peça enquanto procurava através de um polegar não revelado” no Egito.

Um cientista até quis comprar o dedo do dono e fez uma boa oferta, mas o dono disse que não ia vender.

Os pesquisadores acreditam que deveria pertencer a uma criatura com mais de 5 metros de altura. Apenas algumas pessoas conseguiram tirar imagens deste incrível artefato em 1988.

Em entrevista ao BILD.de, Spörri afirmou: “Era um pacote oblongo, cheirava a mofo”, disse Spörri quando contou sua história ao público em 2012.

“Fiquei totalmente pasmo quando vi o dedo gigante marrom escuro. Eu tinha permissão para levá-lo na mão e também para tirar fotos. Uma nota foi colocada ao lado para obter uma comparação de tamanho. O dedo dobrado foi aberto e coberto com mofo seco.”

Desde 1988, Spörri tentou mostrar suas fotos aos cientistas, mas eles não as levaram a sério ou não acreditaram em sua autenticidade. Quando em 2009 decidiu retornar ao local onde o dedo foi encontrado para fornecer aos pesquisadores o original, não conseguiu encontrar as pessoas locais que o acompanhavam até a pirâmide.

O velho que permitiu que Spörri tirasse fotos do dedo gigante havia desaparecido, e com ele todos os vestígios do dedo misterioso que faz cientistas e pesquisadores coçarem a cabeça.

Não se sabe se o dedo é genuíno ou se é um manequim habilidoso, mas, de uma forma ou de outra, a história preservou para a posteridade evidências de que gigantes poderiam realmente ter vivido no território do Egito moderno.

O historiador romano Flavius ​​​​Josephus em 79 dC e., descrevendo a história das guerras européias, disse que os gigantes participaram delas, superando o crescimento das pessoas comuns e diferindo em proporções.

Tão grandes que inspiravam horror, e aqueles que não os viam com seus próprios olhos não podiam acreditar que fossem tão grandes quanto as testemunhas oculares os descreveram.

Essa prova é suficiente para concluir conclusivamente que os gigantes realmente andaram na Terra no passado distante? E que as misteriosas pegadas gigantes encontradas em vários lugares da Terra são reais?