Brasil deverá se tornar o 1º país a efetivar o contato real de humanos com extraterrestres

O Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV), a qual é considerado o maior centro dedicado à área no Hemisfério Sul, foi criado e presidido pelo veterano ufólogo A. J. Gevaerd, editor da Revista UFO, onde o mesmo tem revelado várias informações constantes e fazendo diversas pesquisas desde os anos 80.

Algumas informações apontam que o Brasil será o primeiro país da América do Sul e do mundo, a aceitar como também reconhecer que exista sim pessoas que tenham contatos oficiais e significativos com formas de vida extraterrestre inteligentes, que, para o pesquisador, visitam a Terra desde os tempos antigos de forma constante.

Em uma reunião realizada no ano de 1954 e comandada pelo coronel João Adil de Oliveira, da Aeronáutica, na sede da Escola Superior de Guerra, no Rio de Janeiro, Geveard afirmou a seguinte conclusão “O Brasil possui um relacionamento especialmente natural com diversos fenômenos UFO, inclusive sendo o primeiro país do planeta a admitir de forma oficial, a existência e o avistamento constante de discos voadores e demais extraterrestres”. Alguns anos depois dessa declaração em 1976, ou seja, 22 anos depois, a França teria feito essa mesma admissão.

O Brasil ainda foi considerado o primeiro país do planeta a tornar público e registrar um encontro onde humanos e seres extraterrestres se comunicavam, fato esse que ocorreu no dia 23 de julho de 1947, poucos dias antes do avistamento de uma frota de UFOs por Kenneth Arnold ocorrida nos Estados Unidos, fato esse que deu origem à Ufologia.

Nesse encontro e avistamento brasileiro, o agrimensor que mora no Paraná José Higgins, acabou encontrando-se com ETs, os quais estavam uniformizados dos pés à cabeça e que possuía uma altura desproporcional para o ser humano. “O caso citado por Higgins é ainda mais significativo do que o avistamento feito por Arnold, todavia o início da Ufologia ficou de fato marcado com os norte-americanos”, menciona Gevaerd.

Brasil. 1º contato real de humanos com extraterrestres

Se não bastasse isso, o Brasil também é considerado o primeiro país da história a registrar uma abdução alienígena, ato esse que se concretiza a partir do momento que um serhumano é levado contra sua própria vontade a bordo de um disco voador, assim como foi o caso do mineiro Antonio Villas Boas, que ocorreu no dia 16 de outubro de 1957, no município de São Francisco de Sales, sul de Minas Gerais.

Mas infelizmente, a literatura ufológica mantem o status da primeira abdução ocorrida em solo dos Estados Unidos, mais precisamente no ano de 1961, quatro anos depois do ocorrido com Villas. Gevaerd menciona que isso não se trata de verdade, e que vem sendo divulgado por ele em todas as suas conferências internacionais em mais de 60 países.

Desde a época de Pedro Álvares Cabral que o Brasil relata centenas de casos por ano, onde o próprio ao chegar em abril de 1500, notou a existência de uma luz esférica que atacava categoricamente alguns indígenas, que a temiam dando o nome a essa luz de “boitatá”, que traduzido quer dizer “aquilo que é feito de fogo”.


Semelhante caso como esse de Cabral, é exatamente o mesmo que até seja possível ver e relatar em todos os lugares do Brasil. O relato de Pero Vaz de Caminha sobre o “boitatá” ao rei português, está mantido em carta dentro da Biblioteca Nacional, na cidade do Rio de Janeiro.

Em diversas regiões o “boitatá” é visto como algo folclórico e tem levado o nome de “mãe d’água” ou “mãe d´ouro”, quando avistado próximo a mananciais ou paredões rochosos. Outros nomes que são mencionados a esse fato são “fogo corredor”, “luz do enterro”, “cobra grande”, que neste caso quando se movimenta no céu “noiva”, “luz de Maria Jacinta” etc.

Gevaerd ainda conclui que 100% das lendas folclóricas brasileiras que estão relacionadas a luzes ou a fogo são, de fato, avistamentos ufológicos que infelizmente são mal interpretados pelos antepassados.

Entre todas as lendas que foram citadas e criadas em observações de seres não terrestres as condições e nomes empregados mais utilizados são “duendes”, “espíritos”, “visagens”, “assombrações”, etc.

“Claro que em muitos lugares do mundo esses fenômenos se repetem, porém não com a mesma intensidade como os que ocorrem no Brasil”, afirma Gevaerd.

Gevaerd também foi responsável por criar nos anos 80 a Revista UFO, a qual é considerada a mais antiga publicação sobre relatos de discos voadores do mundo, a qual ainda se encontra em circulação e que é bastante discutida e faz parte do World Coalition on Extraterrestrial Contact (WCEC), uma organização que é formada por ufólogos de 32 nações do mundo.

A iniciativa está fundamentada em uma grande gama e informações e também ocorrências de avistamentos de UFOs como contatos com seus tripulantes desde os anos 40, em cerca de 100 nações, segundo afirmou Gevaerd. Essa tal coalização sobre os contato com extraterrestre possui um
plano amplamente ambicioso, que tem como priori levar a questão para consideração da Organização das Nações Unidas (ONU), a fim de aceitar a discussão sobre o assunto, onde todos os representantes de ao menos 30 nações estão propondo.

Veja também:

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Paulo Américo R A da Costa disse:

    Conheço Gevaerd desde o lançamento da Revista UFO. INTEGRIDADE E ÉTICA norteiam seu trabalho.
    Parabéns Gevaerd pela iniciativa e determinação de manter a ufologia sempre em altos níveis de aprofundamento e qualidade de suas matérias.
    São muitos os indicativos para que sejamos de fato os primeiros a oficializar tal contato. Independentemente de qual país será o primeiro o mais relevante é aceitarmos o fato que por sí só trará inúmeras e profundas transformações em nossa sociedade planetária.
    Os tempos estão chegando e ninguém pode encobrir tal fato. A lei cósmica de evolução é inexorável e no futura está escrita nossa história.
    Sejamos humildes e aceitemos este fato. Todos ganharemos com isto.
    Excelente semanas a todos e meu abraço fraterno Gevaerd!!!

  2. Marco disse:

    “Gevaerd ainda conclui que 100% das lendas folclóricas brasileiras que estão relacionadas a luzes ou a fogo são, de fato, avistamentos ufológicos que infelizmente são mal interpretados pelos antepassados. Entre todas as lendas que foram citadas e criadas em observações de seres não terrestres as condições e nomes empregados mais utilizados são “duendes”, “espíritos”, “visagens”, “assombrações”, etc.” Como se não bastasse os terraplanistas, ainda temos isso.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: