A história de Philip James Corso, o homem que afirmou ter visto corpos alienígenas sem vida em Roswell

A história de Philip James Corso, o homem que afirmou ter visto corpos alienígenas sem vida em Roswell

21/07/2022 0 Por Jonas Estefanski

Corso recebeu mais instrução na Fort Riley Military Intelligence School e ocupou cargos importantes nos Estados Unidos e no exterior, ganhando 19 condecorações e trabalhando diretamente com o presidente Eisenhower.

Em todo o mundo, mas especialmente nos Estados Unidos, uma pessoa que serviu seu país sem mancha nos registros e sendo um exemplo para todos os seus concidadãos, suas opiniões têm muito mais credibilidade do que qualquer outra. E é justamente essa combinação de dados que causou tanto rebuliço nos anos 90, quando Philip decide contar publicamente o que vivenciou em primeira pessoa no caso mais polêmico da história da ufologia: Roswell.

Em 1947, Philip trabalhou no caso Roswell na base do Kansas, onde os militares acumularam os restos do que se dizia ser um disco voador. De fato, havia até 5 caminhões Roswell com vários equipamentos, que Filippo atribuiu a si mesmo para sua pesquisa tecnológica (e posterior engenharia reversa).

Corpos alienígenas sem vida em Roswell
Corpos alienígenas sem vida em Roswell

De fato, concluiu-se que a própria nave era mais um dispositivo espaço-tempo no qual seus ocupantes viajavam de pontos remotos do universo, pois não possuía motores ou sistemas de propulsão conhecidos.

De seus estudos foram obtidos grandes resultados que permitiram promover a tecnologia existente com invenções como fibra ótica, circuitos integrados, equipamentos de visão noturna, fibras super resistentes como Kevlar, etc. E muitos foram apresentados a várias empresas civis, como IBM, Hughes Aircraft, Bell Labs e Dow Corning.

Além de toda essa tecnologia, Philip tinha em suas mãos os restos mortais dos ocupantes da nave. Pequenos humanóides, com características semelhantes ao que chamamos de “cinzas”, que jazem em caixas semelhantes a caixões, completamente inertes.

Corpos alienígenas sem vida em Roswell
Corpos alienígenas sem vida em Roswell

Todas essas informações que Philip divulgou através do livro que publicou em 1997, The Day After Roswell. O testemunho de Corso abalou o mundo naquele ano, e seu livro postou um dos números mais vendidos, segundo o New York Times. Philip J. Corso teve uma carreira militar com cargos na inteligência militar e como designado especial no Pentágono sob o comando do general Arthur Trudeau. Tudo o que Philip denunciava era muito mais relevante por esse simples fato, ainda mais quando não era a primeira vez que se discutia o ocorrido em Roswell.

Philip foi um dos primeiros a se juntar ao Disclosure Project e colaborar no que ele acreditava ser a verdade que o governo dos Estados Unidos mantinha escondida. O que Felipe ganhou contando tudo isso aos 82 anos? Quem você acha que só buscava a fama ou se enriqueceu com um livro de tamanha repercussão?

Corpos alienígenas sem vida em Roswell
Corpos alienígenas sem vida em Roswell