‘A ARCA DE NOÉ’: O FILME DE 1928 QUE FOI UM DESASTRE MORTAL

‘A ARCA DE NOÉ’: O FILME DE 1928 QUE FOI UM DESASTRE MORTAL

17/12/2021 0 Por Jonas Estefanski

Se em pleno século XXI a diretora de fotografia Halyna Hutchins morreu ao ser atingida por um disparo acidental de uma arma de fogo manuseada pelo ator Alec Baldwin, durante as filmagens do filme Rust, no Novo México, no dia 21 de outubro, é de se esperar que as condições em sets de gravações durante o século XX deveriam ser ainda piores e mais negligentes.

Várias mortes acidentais ocorreram em produções de Hollywood ao longo dos anos, principalmente pelo século passado ser firmado na visão de que efeitos especiais ou práticos, cenas de lutas, brigas, explosões e assassinatos precisavam ser as mais autênticas possíveis, portanto o uso de objetos reais era fortemente encorajado.

Foi partindo desse princípio que, em 1928, o filme A Arca de Noé foi produzido, sofrendo uma pressão ainda maior por se tratar de algo baseado na Bíblia Sagrada.

A grande ambição

Michael Curtiz (Fonte: Adoro Cinema/Reprodução)

Michael Curtiz. (Fonte: Adoro Cinema/Reprodução)

Naquela época, o diretor Michael Curtiz, que depois se tornou uma lenda de Hollywood ao fazer Casablanca, era apenas um estrangeiro desconhecido de origem húngara morando há 2 anos nos Estados Unidos. Porém, foi sua carreira pregressa que chamou atenção dos cineastas americanos que queriam rodar A Arca de Noé, que teria apenas o som parcial, visto que o cinema mudo ainda era uma norma.

O enredo do longa teria a história de Noé com um pano de fundo romântico ambientado durante a Primeira Guerra Mundial e, por isso, o filme foi divulgado como “um dos maiores espetáculos de todos os tempos”.

(Fonte: Imdb/Reprodução)

(Fonte: Imdb/Reprodução)

Sendo assim, para que o filme cumprisse com a grandiosidade que prometia, para a cena do dilúvio foram usados mais de 600 mil galões de águas para simular o evento bíblico de maneira mais realista possível.

No entanto, a falta de estrutura acabou causando a morte de 3 figurantes durante as gravações. Curtiz rejeitou todos os pedidos para usar miniaturas no lugar de pessoas e animais reais, porque ele acreditava que aquele filme transformaria sua carreira.

A mudança

(Fonte: Alchetron/Reprodução)

(Fonte: Alchetron/Reprodução)

A Arca de Noé acabou se tornando o motivo pelo qual normas de segurança nos sets de filmagem em Hollywood foram implementadas anos mais tarde, visando criar um ambiente seguro para os atores, figurantes e dublês durante cenas arriscadas.

Mas, a princípio, essas reformas não foram tão eficientes para promover um ambiente seguro o suficiente. Demorou até a década de 1980 para que as leis fossem significativamente atualizadas e controlassem os danos. E, aparentemente, até hoje as medidas tomadas por Hollywood parecem não ter sido o suficiente, visto que pessoas continuam morrendo em sets de filmagens por negligências banais.